Porque você deve conversar sobre política com seu filho

Descubra como debater sobre política e cidadania pode criar jovens mais conscientes

22 de setembro de 2016 - Por: Redação


 

Você fala sobre política com seu filho? Saiba que debater o assunto vai muito além de defender um partido ou outro, na verdade aproximar as crianças e adolescentes desse tema é prepará-los para serem cidadãos mais conscientes e críticos. Segundo o professor de Filosofia Bruno Pontes de Sousa, do Colégio Marista Santa Maria, os pais podem gerar esses debates de formas simples no dia a dia. “A política geralmente é relacionada com aquilo que é público, da organização da cidade, mas nós a praticamos o todo tempo: na escola, na cidade, na família. Quando vamos escolher um lugar para jantar, os pais que propõem o debate para a escolha, ouvindo as opiniões de cada membro estão de certo modo fazendo política, por mais simples que seja.”

 

O educador físico Honório Petersen Hungria Júnior busca sempre estimular o pensamento crítico nas conversas que tem com o filho Eduardo. “Eu procuro trocar ideias com ele sobre política. Principalmente se formos analisar o aspecto histórico do nosso país, que passou por muitas transições. Eu sempre o incentivo a conhecer os partidos, a ter uma leitura crítica.” Eduardo Burkot Hungria, aluno do 9° ano, conta que seu interesse pelo assunto aumentou depois de um projeto que participou na escola, o Plenarinho. Nele, os estudantes realizaram atividades teóricas e práticas que os colocaram em contato com a vida pública da cidade. “Com esse projeto eu expandi minha ideia do que é política. Antes eu não sabia como eram feitos os projetos de lei, como um político exerce sua profissão. Agora eu estou muito mais interessado em saber quem são os candidatos, quem representa a nossa cidade, ainda mais nesse período eleitoral.”

 

 

O Projeto Plenarinho

 

Setembro_Política2

 

De acordo com o professor Bruno, que coordena a iniciativa no colégio, o projeto se baseia em dois eixos: a fundamentação teórica e a experiência prática de aproximação do universo público político. “Após estudarmos a importância e a relação entre o homem e a política, iniciamos a segunda etapa que é o exercício prático de elaboração de projetos de leis.” Em cada sala de aula surgiram de seis a dez projetos, que foram apresentados e colocados em debate para a escolha de apenas um, que representou a turma.

 

“Sempre achei que esse assunto de política era algo muito distante de nós adolescentes, então quando o professor propôs esse projeto todo mundo ficou empolgado. Nós visitamos a Câmara Municipal e apresentamos nossas propostas, sentamos nas cadeiras e tudo, foi uma experiência muito interessante”, conta a estudante Beatriz Latenek dos Santos. Durante as atividades, ela conta que aproveitou para debater suas ideias com seus pais, professores e amigos. “Eu realmente não tinha consciência da situação financeira, do tempo que cada coisa demora a acontecer. É muito bom ter conhecimento sobre esse assunto para não falar da boca para fora.

 

Depois que cada sala escolheu seu projeto, prefeito e vereadores foram convidados a conhecer as propostas e debater com os alunos a sua viabilidade, em um evento que aconteceu há pouco mais de um mês. Para a estudante Ana Luiza Vialle Buffara, as atividades fizeram com que ela enxergasse a cidade de uma nova maneira. “Acabei percebendo que muitas coisas podem ser melhoradas, mas existem várias que já passaram por uma grande mudança. Conheci vários projetos de lei que já existem na cidade e como eles funcionam”, relata.

 



Viverno digital

Loading...