Filhos adolescentes: como lidar com o namoro?

Sim, eles crescem! Confira dicas para reagir (bem) ao primeiro relacionamento amoroso

20 de abril de 2017 - Por: Redação


Marista_namoro adolescente

A adolescência é uma fase de transição para nossos filhos. Mas também é uma fase de muitas mudanças para nós, pais. Eles já não nos querem tão por perto, preferem passar mais tempo com os amigos e, às vezes, não se abrem tanto quanto gostaríamos. Mas o que assusta mesmo é quando eles chegam com a notícia de que estão namorando. E aí, como lidar?

 

Conversamos com o assistente psicopedagógico do Ensino Médio do Colégio Marista Santa Maria, André Luis Miranda Scelza, sobre as atitudes que os pais devem ter para lidar com essa nova fase.

 

COMO REAGIR?

Nós pais precisamos exercer a autoridade que irá contribuir para a construção das personalidades de nossos filhos, com os valores éticos e morais que permeiam nossa cultura. “Por isso, precisamos ter o norte da nossa história, mas, com a mente aberta para analisarmos o contexto atual. Não, a tarefa não é fácil”, afirma André.

 

– Aja com a maior naturalidade possível

– Demonstre sua opinião e deixe claros os valores da família sobre esse assunto

– Esteja sempre atento aos seus filhos e procure analisar a situação de acordo com o contexto

– Evite uma reação explosiva, pois não trará bons resultados

 

QUAL É A IDADE IDEAL?

Segundo o especialista, não existe uma idade ideal. “Se um adolescente de 12 anos diz que quer namorar, a reação dos pais deve ser mais cuidadosa. Devemos questionar muito mais coisas do que se o filho tem 16 anos, por exemplo. Porém, não existe idade certa, até porque existem diferentes tipos de namoro”, pontua.

 

– Mostre-se um bom ouvinte e fique atento aos comportamentos do novo casal

– O assunto deve ser levado mais a sério quando o adolescente já apresenta características sexuais mais desenvolvidas

 

ESTABELECENDO LIMITES

“Conhecemos nossos filhos e podemos, sem culpa, permitir ou proibir um namoro, de acordo com o contexto. Porém, sempre de forma ponderada e com muito diálogo”, explica.

 

– Diante da natural insistência dos adolescentes, lembre-se de que quem detém a autoridade são os pais

 

– Devemos ser companheiros de nossos filhos e não ocupar o lugar de amigos. Cada um no seu papel!

 

MEU FILHO ESTÁ SE AFASTANDO, E AGORA?

“Nesta idade é normal que o adolescente se afaste da família mesmo sem estar namorando. A passagem pela adolescência varia muito de pessoa para pessoa, mas uma coisa é certa, essa é uma fase de diferenciação e construção da identidade”, destaca o assistente psicopedagógico. Para que uma nova identidade se forme (adulta), é preciso negar a outra (infância) e tudo o que a acompanha acaba sofrendo questionamentos e negações. Afastar-se não significa ausência de amor!”

 

– Convide o namorado ou namorada para conviver com a família, porém, tenha o cuidado de não invadir demais o espaço do casal

 

PROBLEMAS NA ESCOLA

“Se o uso excessivo do celular implica em menos tempo para estudos e consequentemente, notas baixas, a origem do problema precisa sofrer mudanças, como a retirada do aparelho ou a restrição do uso. Da mesma forma, se o namoro está atrapalhando o desempenho na escola, novas regras precisam ser criadas”, explica André.  “A autonomia está diretamente relacionada ao que você faz com ela. Mais uma vez, os limites devem ser colocados para ajudá-los a construir suas relações com o mundo a sua volta”, finaliza.



Viverno digital

Loading...